Club de Rondon

Campanha: sua meta nosso sucesso.

No último dia 15 maio, mais de 250 clubes brasileiros finalizaram a inserção de metas 2020-21 no Rotary Club Central e foram reconhecidos com um certificado emitido pelo RI Brazil Office. Como deve saber, as metas são o planejamento do sucesso do clube! Por isso, incentivamos que discutam quais ações e conquistas planejam para o novo ano rotário que se inicia em 1 de julho e Insira as metas 2020-21 o quanto antes. As metas para o ano entrante foram simplificadas e centralizadas no Rotary Club Central. É fácil e rápido! Materiais de referência: Guia de Planejamento Estratégico e o Rotary Club Central. Bom trabalho!

Postado em 22 de Maio de 2020

Tecnologia: Clubes passaram a se Reunir de forma Virtual

Uma pandemia nos “ensinou” a fazer um novo formato de reunião, que já era permitido pelo Conselho de Legislação (COL) do Rotary International, mas ainda pouco praticado no Distrito 4630. Completamos pouco mais de 2 meses de reuniões rotárias on-line. O novo coronavírus fez com que os rotarianos, incansáveis em querer ajudar o próximo, aprendessem a usar uma nova ferramenta: aplicativos para reuniões virtuais. Mesmo aqueles que eram mais resistentes, pela falta de familiaridade com as novas tecnologias, passaram a gostar das reuniões on-line, uma forma encontrada para amenizar a falta de contato presencial que a quarentena tem causado. Segundo o governador Edio Martello, “manter as reuniões já foi uma grande sacada dos clubes em focarem na solução, fazendo um favor para a comunidade e para si mesmos, reunindo-se, ainda que virtualmente, neste momento em que o isolamento é necessário e primordial. Manter as reuniões torna menos difícil essa quarentena e nos mantém fortes para prosseguirmos”, afirma. Para o Coordenador Assistente da Imagem Pública das Zonas 23 A e 24 A, Richard Ropelato Rizzo, os clubes fizeram o dever de casa. “Com mais ou menos dificuldades todos se adaptaram a nova realidade e fizeram bom uso da tecnologia. O distrito não foi diferente. Pela primeira vez fizemos o GATS e PETS on-line. O Rotary International se reinventou, quando pela primeira vez fez a reunião do board foi de forma online. O futuro com certeza será diferente. Novas oportunidades surgirão. Os clubes perceberam que é possível adotar as tecnologias para continuar o trabalho que fazemos. Lembrando que adotamos ferramentas digitais desde o ano rotário 2018-19, quando o Carlos Naves foi governador”, pontua. “Quando compramos a ferramenta, pensamos nela para uma necessidade extra, para ter um contato mais instantâneo com os presidentes, presidentes de comissões, GAs, não pensando como um substituto dos principais treinamentos presenciais, porque nada substitui esse contato. Fomos o primeiro Distrito a utilizar essa ferramenta, então temos já esse expertise, mas jamais imaginei que passaríamos por um momento de reclusão, como esse causado pela pandemia. Hoje é a ferramenta que encontramos para unir o Distrito à distância, mantendo as reuniões e até realizando o PETS e GATS de forma virtual, porque os trabalhos precisam continuar”, fala o governador 2018-19 Carlos Naves. Rotary e a Pandemia – De acordo com o Diretor do Rotary International, Mário César Martins de Camargo, além das orientações para que os rotarianos continuem as reuniões on-line, as propostas a serem analisadas pela sede da organização nos EUA já foram enviadas, a fim de manter os clubes rentáveis. Serão avaliados a possibilidade de congelamento do dólar rotário, um estudo para o valor da taxa percapta, usar os fundos de subsídios, entre outros. “Alguma coisa com certeza vai sair, e já está saindo, como por exemplo o fundo para desastres naturais, pois a Covid-19 pode ser considerada uma catástrofe. Crise é o nosso sobrenome e o Rotary se renova e se fortalece nas adversidades”, garante Mário César. Larissa Nakao Comunicação Corporativa 

Postado em 21 de Maio de 2020

Como apoiar os estudantes do Intercâmbio de Jovens durante a pandemia de covid-19

Pelos funcionários do departamento de Intercâmbio de Jovens e de Proteção a Jovens do Rotary International Enquanto o mundo enfrenta desafios extraordinários em meio à pandemia do coronavírus, os participantes do Intercâmbio de Jovens do Rotary também estão enfrentando desafios inusitados. O Rotary International está trabalhando com líderes de clubes e distritos para assegurar que a saúde e a segurança dos estudantes continuem sendo a maior prioridade, quer eles permaneçam no país anfitrião ou retornem para casa. Prezar pela segurança dos estudantes inclui oferecer apoio emocional àqueles que estão passando por uma experiência bem diferente do que esperavam. Para ajudar as pessoas envolvidas no programa, pedimos para dois líderes do Intercâmbio de Jovens compartilhar as melhores maneiras de apoiar os intercambistas durante esses tempos inusitados. Tom Overbaugh, ex-governador do Distrito 7170, conta que, ao optar por mandar os estudantes de volta para casa antecipadamente, o distrito chegou à conclusão de que também precisava oferecer apoio emocional, pois alguns jovens estavam com medo da viagem ou da quarentena. Ele compartilhou os conselhos que recebeu da dirigente de Intercâmbio de Jovens do seu distrito, Michele Hughes: Siga os conselhos do governo local e autoridades da saúde. Muitos alunos que voltarem para casa terão que ficar de quarentena (possivelmente isolados até de suas famílias) por um período de 14 dias. Este pode ser o maior desafio, já que, depois de um longo período de separação, os familiares querem ficar fisicamente próximos uns dos outros, e não socialmente distantes. No entanto, é importante reconhecer o potencial de exposição ao vírus, e seguir os conselhos do governo local e especialistas em saúde. Rematricule o estudante em sua escola local. Os pais dos intercambistas que voltarem para casa antecipadamente devem entrar em contato com seu distrito escolar para perguntar sobre a possibilidade de matriculá-los em cursos semestrais. A participação nas aulas dá aos jovens algo importante em que se concentrar, em vez de se preocupar com o retorno antecipado do intercâmbio. Fale com o estudante sobre sua experiência de intercâmbio. Depois que voltarem para casa, os intercambistas devem participar de uma sessão em grupo organizada pela Comissão Distrital de Intercâmbio de Jovens. Além de dar aos jovens a oportunidade de ouvir e compartilhar experiências e apoiar uns aos outros, a reunião fornece à comissão informações valiosas sobre como eles se sentem. Determine o tipo de apoio que os estudantes precisam. Nem todos os estudantes precisam do mesmo tipo de apoio emocional. Alguns se sentem mais à vontade falando com conselheiros escolares, enquanto que outros gostam de responder perguntas sobre sua experiência no intercâmbio. Pat Carson, coordenadora de estudantes outbound do Distrito 5080, compartilhou os seguintes conselhos: Preze pela saúde mental – A Comissão de Intercâmbio de Jovens do nosso distrito tem um conselheiro de saúde mental que contata cada estudante que volta para casa mais cedo para oferecer apoio. Esta assistência é muito importante, especialmente durante a atual crise de covid-19. Contate os estudantes após o intercâmbio – Contatamos todos os estudantes que retornaram para casa antecipadamente por meio de videoconferência para que possam compartilhar o que estão vivenciando e apoiar uns aos outros. Adapte-se à nova situação – É importante oferecer apoio às famílias anfitriãs e estudantes que ainda estão sendo hospedados em nosso distrito. Como os intercambistas não podem mais participar de reuniões presenciais, nós usamos as videoconferências para nos comunicarmos com eles. Embora este não seja o intercâmbio para o qual eles se inscreveram, após falar com as famílias e considerar todas as informações fornecidas pelo governo e autoridades da saúde, os pais de alguns dos nossos estudantes inbound decidiram deixar seus filhos continuar o intercâmbio e permanecer onde estão. Apoie as famílias anfitriãs – Diante da atual situação, é mais importante do que nunca apoiar as famílias anfitriãs. Como exemplo, eu estou hospedando um estudante que se mudou para nossa casa uma semana antes do distanciamento social ser colocado em prática. Como no momento não há atividades escolares ou sociais, estamos encontrando novas maneiras de nos manter engajados, seja praticando o idioma ou falando com amigos e familiares on-line. Muitas outras famílias anfitriãs podem estar vivenciando circunstâncias similares, portanto, não deixe de contatá-las regularmente.

Postado em 19 de Maio de 2020

GAs em Ação - Guilherme Antonio Garcia Pereira – Grupo 21: Icaraíma, Umuarama Capital da Amizade e Umuarama Despertar

Rotariano desde 2011, Guilherme foi Protocolo em 2014-15, presidente do evento Leitão à Pururuca em 2015-16 e presidente em 2017-18 do Rotary Club de Umuarama Capital da Amizade. Desde o início da quarentena, os clubes do seu grupo adaptaram a reunião presencial para a troca de conversas em Grupos criados no WhatsApp. Segundo o governador assistente, foi a alternativa encontrada de forma consensual para os trabalhos não pararem. “O Encontro Ecológico, por exemplo, um evento ambiental já consolidado em todo o distrito, teve que ser cancelado em razão da pandemia do coronavírus. O Rotary Club de Umuarama Capital da Amizade está avaliando se o evento será remarcado ainda neste ano rotário 2018-19, tudo dependerá das informações que estamos recebendo das autoridades de saúde, do que será permitido. Porém, para a segurança de todos, organização e participantes, este evento deverá acontecer na próxima gestão”, pontua Guilherme. O quadro associativo mantém-se no ritmo dentro do esperado, da meta dos 10% de expansão. “Com a visita oficial do governador Edio, o Rotary Club de Icaraíma assimilou os fundamentos rotários passados e semanas depois conseguiu aumentar o quadro associativo. É um clube pequeno, que está voltando a crescer”, avalia. Por outro lado, a venda das Ações Humanitárias foram concluídas rapidamente por este clube, que fez a tarefa de casa da venda simbólica das vacinas contra a poliomielite. Como governador assistente, Guilherme tem investido com os clubes na importância de manterem o foco na realização de projetos junto à Fundação Rotária. “Recentemente, o Rotary Club de Icaraíma em parceria com o Umuarama Capital da Amizade fez a entrega de Projeto Distrital para a Apae de Icaraíma, com equipamentos para ajudar no tratamento dos alunos”.  Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Postado em 14 de Maio de 2020

Rotary: brasileiros se destacam no combate à Covid-19

Os membros do Rotary no Brasil vêm se destacando nas ações de combate à pandemia de coronavírus. Dos mais de 150 projetos aprovados para utilização do Fundo para Assistência em Casos de Desastres pela Fundação Rotária no mundo, o Brasil é o terceiro país com maior número de projetos aprovados até o momento, atrás apenas da Índia e dos Estados Unidos. Até o dia 20 de abril, o Brasil teve 20 projetos aprovados para utilização do fundo de desastres para a compra de equipamentos de combate à Covid-19, além de suprimentos para pessoas carentes. Com a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais de saúde nos hospitais, os projetos dos Rotary clubs se concentram na compra de materiais como luvas e máscaras cirúrgicas, face Shields (protetores faciais de plástico), materiais de higiene e outros itens necessários aos cuidados de médicos, enfermeiros e pacientes. Como destaca Mário César de Camargo, diretor do Rotary International, a pandemia mostrou a rápida capacidade de reação dos membros da organização no Brasil. “Quando surgiu a oportunidade, eles imediatamente se engajaram e, como a outorga do subsídio é na base do primeiro que chega é o primeiro que é servido, eles se colocaram bem na lista, e tiveram 20 dos 159 projetos que foram aprovados no mundo”, aponta.  Hipólito Ferreira, curador da Fundação Rotária, explica como a entidade modificou seus critérios e procedimentos para que os membros do Rotary de todo o mundo pudessem desenvolver e implementar projetos de combate à pandemia. “Quando se falava em assistência a desastres, se falava em tsunami, em excesso de chuvas, em coisas que fossem realmente destruidoras a partir do meio ambiente. E agora, a grande flexibilização foi determinar que a doença pode ser considerada também um desastre”, explica. Para possibilitar a implementação dos projetos, alguns processos foram modificados dentro da Fundação Rotária, como a dispensa da necessidade de fundos vindos de um parceiro internacional, e a possibilidade da utilização do Fundo Distrital de Utilização Controlada (FDUC) também para os projetos voltados à Covid-19. “O fundo de auxílio a desastres tem um procedimento que é praticamente aprovação default (padrão). A pessoa pediu dinheiro, ela recebe. A Fundação Rotária confia que o distrito* vá fazer uma aplicação devida desse dinheiro”, diz Mário César. “A Fundação Rotária, ao flexibilizar as regras, tornou tudo muito fácil”, avalia Hipólito. Até o momento, a Fundação Rotária já disponibilizou US$ 4 milhões para a realização de projetos de combate ao coronavírus no mundo, utilizando o Fundo para Assistência em Casos de Desastres. Cada projeto pode receber até US$25 mil para sua implementação. Com a alta cotação do dólar no Brasil, os projetos aqui realizados têm recebido uma média de R$ 127.500 cada. No total, os projetos realizados aqui com a utilização deste fundo já receberam cerca de US$ 500 mil ou R$ 2,55 milhões. Além dos projetos que utilizam o fundo de desastres, alguns distritos* também estão desenvolvendo projetos com a utilização de subsídios globais (que apoiam atividades internacionais maiores), também para a compra de EPIs, envolvendo valores de US$ 30 mil a US$ 52 mil cada. No total, a Fundação Rotária já disponibilizou mais de US$ 7,20 milhões para utilização em projetos de subsídios globais no mundo. Entre os projetos realizados no país, Mário César destaca o do distrito* 4420, que inclui a compra de oxímetros para hospitais do estado de São Paulo. O aparelho mede o nível de oxigenação na corrente sanguínea do paciente, alertando os médicos quando esse nível está abaixo do ideal. Hipólito aponta outra iniciativa de impacto, como a do distrito* 4760, que possibilita a compra de equipamentos de segurança para 26 hospitais em 22 cidades do estado de Minas Gerais, além da utilização da verba de sua conferência distrital em um projeto de subsídio global também para o combate ao coronavírus. Vale lembrar que, além das iniciativas realizadas com os fundos da Fundação Rotária, centenas de Rotary clubs de todo o Brasil têm se mobilizado diariamente com suas próprias verbas para a confecção e distribuição de equipamentos de proteção individual, cestas básicas e kits de higiene em um esforço conjunto para combater a propagação da doença do país. *Para quem não conhece a estrutura do Rotary International, regionalmente, os Rotary clubs são agrupados em distritos. Fonte: Blog Vozes do Rotary (leia a publicação original em https://rotaryblogpt.wordpress.com/2020/05/04/rotary-brasileiros-se-destacam-no-combate-a-covid-19/#more-2151)

Postado em 13 de Maio de 2020

Projeto Emergencial Covid-19

O Distrito 4630 de Rotary International, reagindo de forma imediata à pandemia do COVID19, realizou o Projeto Emergencial para atender às necessidades mais urgentes dos hospitais filantrópicos da região. Em Campo Mourão, os 6 clubes de Rotary entregaram para a Santa Casa de Misericórdia, que é responsável pelo atendimento às vítimas da COVID 19 em toda a região da CONCAM, o projeto aprovado pela Fundação Rotária.   Este projeto foi financiado pela Fundação Rotária que retornou em dobro os recursos doados pelos rotarianos e contribuídos pelas Empresas Cidadãs durante este ano rotário. O subsídio no valor de U$ 25 mil dólares foi utilizado para a compra de equipamentos para a UTI  da Santa Casa, entre os quais: 3 aparelhos de videolaringoscopia, que serão utilizados para a entubação dos pacientes, sem a necessidade do médico se expor ao aerossóis eliminados pelo paciente neste momento, dando segurança para a equipe de profissionais assistentes; Equipamento de eletrocardiograma de 12 canais, que permite fazer o eletrocardiograma na beira do leito, com segurança ao paciente e 1.000 (mil) máscaras N 95 3M, com filtro, que reduz em 99,9% o risco de contaminação dos profissionais. Esta é a primeira fase do subsídio que também já autorizou a compra de 10 camas hospitalares, motorizadas, aparelhos de desfibrilação/cardioversor, máscaras de ventilação não invasiva, circuitos CPAP nasal, oxímetros, monitores multiparâmetros e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como: aventais impermeáveis, toucas, luvas, óculos de proteção e face Shields (escudos em acrílico). O custo do projeto pode ser medido pelo montante de dinheiro investido, mas o valor é infinitamente superior, uma vez que, segundo o Diretor Técnico da Santa Casa, Dr. Renato Gibim, estes equipamentos salvarão muitas vidas e isto não tem preço. Os equipamentos foram entregues no dia 07 de maio pelo presidente da Comissão da Fundação Rotária do Distrito 4630, Dr. Antonio Carlos Cardoso, junto do governador indicado 2022-23, Elói Bonkoski, representando o atual governador  Édio Martelo, e dos Presidentes dos Clubes: Marcelo Lima do R.C. Campo Mourão, Gérson Luiz Batista do R. C. Gralha Azul, Lindomar Teles de Oliveira do R. C. Verdes Campos, Itamar Zeni do R. C. Araucária, Anne Caroline de Paula Freitas do R. C. Lago Azul e Ana Cláudia Padilha do R. C. Raio de Luz, representando seus respectivos clubes.  

Postado em 08 de Maio de 2020

GT Foods: “Respeitamos acima de tudo a vida”, afirma vice-presidente

Com 28 anos de história, a GT Foods abate cerca de 600 mil frangos por dia, divididos em seus quatro frigoríficos, localizados em Maringá, Paranavaí, Terra Boa e Paraíso do Norte. Todas as plantas são habilitadas para exportação, inclusive algumas delas para os mercados mais exigentes, como a Europa e China continental. “Como nossa cadeia de produção é verticalizada, temos, além das plantas de abate, mais 22 unidades de produção, sendo elas fábricas de ração, de óleos e farinhas, incubatório, matrizeiros, granjas de recria de matrizes, etc. Todas localizadas no Paraná, gerando 9,8 mil empregos diretos e, pelo menos, mais 60 mil indiretos”, informa Carlos Eduardo de Grossi, o Cacá, vice-presidente da empresa. Granjas próprias e sistema de integração para as aves são utilizadas, permitindo que aproximadamente 600 famílias produtoras agreguem seus serviços no alojamento dos frangos, somando mais de 1000 aviários nessa cadeia. Isso impulsiona para que a GT Foods esteja presente em mais de 150 municípios do Paraná, levando desenvolvimento econômico e social de forma capilarizada. “Nossos produtos estão em mais de 100 países e em todos os estados brasileiros. Possuímos Joint in Venture fora do país para incrementar a penetração internacional, como também 8 filiais próprias de vendas no país. Além de produzirmos frango, também somos proprietários da linha de produtos Lorenz. Ela foi adquirida pelo grupo no final de 2014 e possui duas fábricas, sendo elas em Cianorte e Quatro Pontos. A Lorenz foi fundada em 1916 e tem como principal linha de produtos a Maltodextrina, Amidos Modificados, Pregel e Dextrinas”, explica Cacá.   A GT Foods, mensalmente, contribui com vários programas sociais. São mais de 20, tendo como exemplos, a Creche Menino Jesus, a Casa Assistencial Ermance Dufaux, a APAE, o Lar Espírita e Beneficente Allan Kardec de Sarandi. “Qualquer programa social originário do Rotary, já traz por definição princípios éticos, seriedade, credibilidade e, principalmente, o bem comum. Isso, por si só, já é uma contribuição enorme para que qualquer empresa, que segue os mesmos princípios, associe a sua marca à essa instituição. Entendemos ser um privilégio a GT ter, de alguma forma, uma relação com o Rotary”, destaca. A pandemia do coronavírus impactou o mercado interno quanto o externo, as negociações e vendas caíram muito. “Os motivos são desde restrições ao comércio, restaurantes fechados, food services não operando, portos congestionados pela falta de staff em liberar os contêineres para retornarem aos países exportadores, dificuldades nos créditos devida a baixa liquidez do mercado financeiro, dentre diversos outros fatores”, contextualiza Cacá. De acordo com o gestor, a GT Foods não diminuiu o volume de produção, não demitiu funcionários; ao contrário, contrataram mais de 300 colaboradores para substituir os colegas de grupo de risco, que precisam ficar em suas casas. “Quando esses colegas tiverem condições de retornarem às atividades, manteremos as novas contratações. Como existe um processo de turn over como em qualquer empresa, naturalmente esse quadro se ajustará, fazendo justiça à aqueles colaboradores que ingressaram na empresa para nos ajudar e aos que tiveram que ser afastados pelo risco da pandemia”.   Conforme Cacá, as exigências para se manter um abate são extremas em relação à higiene, limpeza e procedimentos. Todos os colaboradores já possuem como rotina a troca de roupas antes de entrar na produção. São roupas brancas, para quem opera dentro da produção, diariamente lavadas e higienizadas. EPIs como botas, toucas, luvas e máscaras, também já fazem parte dessa rotina antes mesmo do Covid-19. “O que adicionamos foi um rigoroso Plano de Contingência, protocolado e elogiado nas secretarias de saúde por onde temos operações. E, ao sermos fiscalizados, os elogios permaneceram e serviram de base para outras indústrias. Respeitamos acima de tudo a vida. Estamos dando todas as condições possíveis para que os nossos colaboradores produzam alimentos, que é um bem essencial e primordial a todos”. A GT Foods tornou-se parceira do Rotay na gestão de Alan Rogério Mincache, em 2018-19 e renovou sua participação em 2019-20, com Anníbal Bianchini. Larissa Nakao Comunicação Corporativa      

Postado em 02 de Maio de 2020

Ver todos

O ROTARY CLUB DE SANTA ISABEL DO IVAÍ REALIZA DOAÇÃO DE 95 LITROS ALCOOL 70 PARA A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTA MÔNICA.

No dia 20/05/2020, foi realizada a entrega de 19 galões de 5 litros de álcool 70 para a Secretaria Municipal de Santa Mônica, essa ação, foi viabilizada através de uma solicitação realizada pelo futuro presidente do Rotary Club de Santa Isabel do Ivaí, Marcos José dos Santos, que tem buscado promover ações que contribua com a comunidade local considerando as necessidades da sociedade. E estiveram presentes no ato da entrega o atual presidente do Rotary Club de Santa Isabel do Ivaí, Renato Costa Nunes e o companheiro e futuro presidente do Rotary Marcos José dos Santos e representando a Secretaria Municipal de Saúde, Regiane Aparecida Alcantara e Emily Gois Silva. “O Rotary de Santa Isabel do Ivaí sempre presente na comunidade e cumprindo seu papel de "Dar de Si sem pensar em Si", para juntos Conectarmos o Mundo”.

Em 24/05/2020 por Rotary Club de Santa Isabel do Ivaí

Tecnologia: Clubes passaram a se Reunir de forma Virtual

Uma pandemia nos “ensinou” a fazer um novo formato de reunião, que já era permitido pelo Conselho de Legislação (COL) do Rotary International, mas ainda pouco praticado no Distrito 4630. Completamos pouco mais de 2 meses de reuniões rotárias on-line. O novo coronavírus fez com que os rotarianos, incansáveis em querer ajudar o próximo, aprendessem a usar uma nova ferramenta: aplicativos para reuniões virtuais. Mesmo aqueles que eram mais resistentes, pela falta de familiaridade com as novas tecnologias, passaram a gostar das reuniões on-line, uma forma encontrada para amenizar a falta de contato presencial que a quarentena tem causado. Segundo o governador Edio Martello, “manter as reuniões já foi uma grande sacada dos clubes em focarem na solução, fazendo um favor para a comunidade e para si mesmos, reunindo-se, ainda que virtualmente, neste momento em que o isolamento é necessário e primordial. Manter as reuniões torna menos difícil essa quarentena e nos mantém fortes para prosseguirmos”, afirma. Para o Coordenador Assistente da Imagem Pública das Zonas 23 A e 24 A, Richard Ropelato Rizzo, os clubes fizeram o dever de casa. “Com mais ou menos dificuldades todos se adaptaram a nova realidade e fizeram bom uso da tecnologia. O distrito não foi diferente. Pela primeira vez fizemos o GATS e PETS on-line. O Rotary International se reinventou, quando pela primeira vez fez a reunião do board foi de forma online. O futuro com certeza será diferente. Novas oportunidades surgirão. Os clubes perceberam que é possível adotar as tecnologias para continuar o trabalho que fazemos. Lembrando que adotamos ferramentas digitais desde o ano rotário 2018-19, quando o Carlos Naves foi governador”, pontua. “Quando compramos a ferramenta, pensamos nela para uma necessidade extra, para ter um contato mais instantâneo com os presidentes, presidentes de comissões, GAs, não pensando como um substituto dos principais treinamentos presenciais, porque nada substitui esse contato. Fomos o primeiro Distrito a utilizar essa ferramenta, então temos já esse expertise, mas jamais imaginei que passaríamos por um momento de reclusão, como esse causado pela pandemia. Hoje é a ferramenta que encontramos para unir o Distrito à distância, mantendo as reuniões e até realizando o PETS e GATS de forma virtual, porque os trabalhos precisam continuar”, fala o governador 2018-19 Carlos Naves. Rotary e a Pandemia – De acordo com o Diretor do Rotary International, Mário César Martins de Camargo, além das orientações para que os rotarianos continuem as reuniões on-line, as propostas a serem analisadas pela sede da organização nos EUA já foram enviadas, a fim de manter os clubes rentáveis. Serão avaliados a possibilidade de congelamento do dólar rotário, um estudo para o valor da taxa percapta, usar os fundos de subsídios, entre outros. “Alguma coisa com certeza vai sair, e já está saindo, como por exemplo o fundo para desastres naturais, pois a Covid-19 pode ser considerada uma catástrofe. Crise é o nosso sobrenome e o Rotary se renova e se fortalece nas adversidades”, garante Mário César. Larissa Nakao Comunicação Corporativa 

Em 21/05/2020

Reuniões

Informamos a todos que nossas reuniões estão ocorrendo semanalmente, por videoconferência, com abertura às 20:00 e início da reunião às 20:30, todas as quintas-feiras.  Ainda não temos previsão para o retorno das reuniões presenciais. Caso tenha interesse em participar, solicite o link ao secretário do Club, Companheiro Raphael Duarte da Silva, pelo telefone 44-99978-1723.

Em 21/05/2020 por Rotary Club de Campo Mourão

Unidos contra a pandemia, cuidando dos profissionais da linha de frente!

Mais um lote de face shields concluído!Parceria do  Laboratório Pasteur ( que faz parte da Empresa Cidadã do Rotary Arenito), Ágape confecções e Rotary Club de Paranavaí Arenito.Unidos contra a pandemia, cuidando dos profissionais da linha de frente!

Em 20/05/2020 por Rotary Club de Paranavaí-Arenito

GAs em Ação - Guilherme Antonio Garcia Pereira – Grupo 21: Icaraíma, Umuarama Capital da Amizade e Umuarama Despertar

Rotariano desde 2011, Guilherme foi Protocolo em 2014-15, presidente do evento Leitão à Pururuca em 2015-16 e presidente em 2017-18 do Rotary Club de Umuarama Capital da Amizade. Desde o início da quarentena, os clubes do seu grupo adaptaram a reunião presencial para a troca de conversas em Grupos criados no WhatsApp. Segundo o governador assistente, foi a alternativa encontrada de forma consensual para os trabalhos não pararem. “O Encontro Ecológico, por exemplo, um evento ambiental já consolidado em todo o distrito, teve que ser cancelado em razão da pandemia do coronavírus. O Rotary Club de Umuarama Capital da Amizade está avaliando se o evento será remarcado ainda neste ano rotário 2018-19, tudo dependerá das informações que estamos recebendo das autoridades de saúde, do que será permitido. Porém, para a segurança de todos, organização e participantes, este evento deverá acontecer na próxima gestão”, pontua Guilherme. O quadro associativo mantém-se no ritmo dentro do esperado, da meta dos 10% de expansão. “Com a visita oficial do governador Edio, o Rotary Club de Icaraíma assimilou os fundamentos rotários passados e semanas depois conseguiu aumentar o quadro associativo. É um clube pequeno, que está voltando a crescer”, avalia. Por outro lado, a venda das Ações Humanitárias foram concluídas rapidamente por este clube, que fez a tarefa de casa da venda simbólica das vacinas contra a poliomielite. Como governador assistente, Guilherme tem investido com os clubes na importância de manterem o foco na realização de projetos junto à Fundação Rotária. “Recentemente, o Rotary Club de Icaraíma em parceria com o Umuarama Capital da Amizade fez a entrega de Projeto Distrital para a Apae de Icaraíma, com equipamentos para ajudar no tratamento dos alunos”.  Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Em 14/05/2020

Projeto Emergencial Covid-19

O Distrito 4630 de Rotary International, reagindo de forma imediata à pandemia do COVID19, realizou o Projeto Emergencial para atender às necessidades mais urgentes dos hospitais filantrópicos da região. Em Campo Mourão, os 6 clubes de Rotary entregaram para a Santa Casa de Misericórdia, que é responsável pelo atendimento às vítimas da COVID 19 em toda a região da CONCAM, o projeto aprovado pela Fundação Rotária.   Este projeto foi financiado pela Fundação Rotária que retornou em dobro os recursos doados pelos rotarianos e contribuídos pelas Empresas Cidadãs durante este ano rotário. O subsídio no valor de U$ 25 mil dólares foi utilizado para a compra de equipamentos para a UTI  da Santa Casa, entre os quais: 3 aparelhos de videolaringoscopia, que serão utilizados para a entubação dos pacientes, sem a necessidade do médico se expor ao aerossóis eliminados pelo paciente neste momento, dando segurança para a equipe de profissionais assistentes; Equipamento de eletrocardiograma de 12 canais, que permite fazer o eletrocardiograma na beira do leito, com segurança ao paciente e 1.000 (mil) máscaras N 95 3M, com filtro, que reduz em 99,9% o risco de contaminação dos profissionais. Esta é a primeira fase do subsídio que também já autorizou a compra de 10 camas hospitalares, motorizadas, aparelhos de desfibrilação/cardioversor, máscaras de ventilação não invasiva, circuitos CPAP nasal, oxímetros, monitores multiparâmetros e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como: aventais impermeáveis, toucas, luvas, óculos de proteção e face Shields (escudos em acrílico). O custo do projeto pode ser medido pelo montante de dinheiro investido, mas o valor é infinitamente superior, uma vez que, segundo o Diretor Técnico da Santa Casa, Dr. Renato Gibim, estes equipamentos salvarão muitas vidas e isto não tem preço. Os equipamentos foram entregues no dia 07 de maio pelo presidente da Comissão da Fundação Rotária do Distrito 4630, Dr. Antonio Carlos Cardoso, junto do governador indicado 2022-23, Elói Bonkoski, representando o atual governador  Édio Martelo, e dos Presidentes dos Clubes: Marcelo Lima do R.C. Campo Mourão, Gérson Luiz Batista do R. C. Gralha Azul, Lindomar Teles de Oliveira do R. C. Verdes Campos, Itamar Zeni do R. C. Araucária, Anne Caroline de Paula Freitas do R. C. Lago Azul e Ana Cláudia Padilha do R. C. Raio de Luz, representando seus respectivos clubes.  

Em 08/05/2020

Reuniões Quartas-Feiras | 20:00
Av. Brasil,490 Cep: 87800-000